Sabedoria Duodec - MAIOR ERRO DESTES VENDEDORES

Imagem da borda do título - Elements Gaming

Estávamos no vilarejo dos Duodec, próximo a um oásis onde podemos usufruir da água e da sombra quando necessárias. Todos temos algumas obrigações diárias a serem executadas para o bom convívio entre toda a comunidade, alguns estão encarregados de verificar o abastecimento de água e manutenção da bomba, outros da manutenção preventiva dos cabos que ligam a vila aos geradores de energia, existem os responsáveis pela alimentação, outros da limpeza e assim por diante, todos contribuem para o bom andamento e sustentabilidade do local. Ainda estou me familiarizando com as tarefas e com todos os moradores dali.

 

Recém chegado de uma longa viagem ao lado de meu inseparável professor, o Grande Mestre! Aguardava-o ansiosamente, do lado de fora de sua moradia, para nossas conversas a beira do lago, ao final de cada dia.

 

O lago do oásis era rodeado por algumas árvores de copa larga, haviam pequenos arbustos que intercalavam seu entorno, os Duodecs eram caprichosos em serviços manuais, em alguns pontos, haviam construído bancos de madeira, para que os apreciadores da paisagem pudessem contemplá-la com mais comodidade, além disso, alguns ali pescavam e esse era exatamente o nosso caso! Adorávamos pescar ao entardecer, onde o calor do sol já não se fazia tão escaldante e a brisa amenizava o mormaço deixado durante o dia. Como um passe de mágicas, se fechar os olhos e me concentrar, posso sentir o frescor da água em meus pés, a brisa suave tocando meu rosto e o aroma que trazia ao tocar nas folhas das árvores!

 

De onde estávamos podíamos ver a chegada de comerciantes que visitavam o lugarejo, sempre procurando vender, ou de certa forma empurrar, suas bugigangas aos moradores da comunidade Duodec. O Grande Mestre, sempre dizia que todos comerciantes tinham o direito de conseguir dinheiro, porém o que eles vendem deve ser bom, útil e necessário para os demais. Existiam muitos vendedores ambulantes que percorriam ruas, oferecendo inutilmente suas mercadorias, porém ninguém se interessava por elas. O erro destes vendedores, dizia o Mestre, era pensar e falar somente no seu, não se preocupavam com o ponto de vista alheio e por isso, atraiam o fracasso. Todo êxito na vida, depende da habilidade que se tenha para tratar as demais pessoas, quer conhecer uma pessoa a fundo, observe como trata seus pais, sua esposa e seus filhos! Assim ele dizia.

 

Com suas palavras, seu olhar fixo no horizonte e uma maneira simples de observar as coisas a sua volta, o Mestre me ensinava que deveríamos nos converter em pessoas altruístas e bondosas, ajudar aos outros de diversas formas e com conselhos, quando nos fosse permitido. Sempre nos esforçando para compreender o ponto de vista de cada pessoa, de cada pessoa! Quando começássemos a dar, os primeiros passos, no caminho destas ações, que são parte do êxito e da felicidade, ajudando aos outros, estaríamos certamente, beneficiando a nós mesmos e essa era mais uma daquelas Leis que o Mestre tanto falava! Mais uma Lei!